Tag Archives: virtualização

LXD o virtualizador ubuntu

Tempo de leitura: 8 min

Este post é sobre o LXD, uma forma de criar “máquinas virtuais” que residem em directorias na nossa máquina, sem mais intermediários (hypervisors). Para quem usa docker podem ver mais info sobre o projecto e como se comparam os 2: https://www.ubuntu.com/containers/lxd.

Fica já a nota que o docker e o lxd são concorrentes, mas talvez sejam mais complementares. O docker isola componentes, o lxd isola sistemas operativos. Terão por isso vantagens e desvantagens muitas vezes simétricas. E ambos são similares na tecnologia de base que usam (lxc e chroot + cgroups). Basicamente, usam capacidades do kernel linux para isolar componentes (é por isso que só podemos “virtualizar” componentes linux e não windows ou mac). Na verdade, e para ser tecnicamente menos incorrecto, não se criam máquinas virtuais, mas sim containers. Mas para simplicidade, no resto do texto quando falo de containers ou VM’s é tudo o mesmo… containers.

Aquilo que me entusiasma no LXD é a simplicidade de uso, com muito poucos  comandos, e a facilidade de gerir sistemas que integram vários componentes, como geralmente acontece numa plataforma SIG (qgis, postgresql, geoserver, etc.). Como o LXD virtualiza um SO inteiro, é natural e fácil usá-lo para conter sistemas aplicacionais inteiros.

As máquinas LXD podem ser criadas em directorias no nosso servidor Ubuntu, e podem conter diversos sistemas operativos. E é muito fácil clonar, fazer snapshots, parar e iniciar estes contentores de SO. Já cópias de segurança obrigam a alguma ginástica, mas estão a trabalhar num método simplificado.

Também é fácil limitar os recursos usados por cada VM, quer na memória máxima, quer no processador (cores, % de tempo, etc.), e vários outros recursos. Podem ver info completa aqui: https://stgraber.org/2016/03/26/lxd-2-0-resource-control-412/.

A existência do LXD vem baixar a complexidade da virtualização baseada em containers, deixando de usar hypervisors como o KVM, OpenVZ, VMWare, VirtualBox, e HyperV.

Podemos instalar o Ubuntu directamente na máquina física, e criar VM’s usando comandos LXD. Os seus defensores indicam ganhos de desempenho, ou mais correctamente menos perda de desempenho, e por isso potencial maior densidade de VM’s. Não posso confirmar nem desmentir porque não testei nada disto. Mas parece-me algo lógico.

Só mais um detalhe – o LXD suporta nested virtualization, ou seja, dentro de uma VM Ubuntu podemos usá-lo para criar VM’s, que estão dentro da nossa VM inicial… confuso? Cuidado, que o OpenVZ não suporta lxd… portanto ao comprarem uma VPS assegurem-se que é baseada em KVM.

Nested Virtualization… whaaat? Continue reading LXD o virtualizador ubuntu