GDAL: conversão entre formatos de imagem SIG

Esta é a parte 2 de um conjunto de artigos sobre o GDAL, o kit de ferramentas para conversão de imagens SIG. Pode também ler aqui a parte 1 desta série.

Conversão de formatos

Uma das operações mais comuns efectuadas com o GDAL é a conversão entre formatos. Alguns exemplos:

  • Converter de TIFF para JPEG, com ou sem georreferenciação
  • Converter de GeoTIFF para TIFF+tfw, e vice-versa
  • Manter o formato TIFF mas alterar a compressão interna, para JPEG, LZW e outras
  • Converter um dos formato suportados para ECW, um formato geo-espacial extremamente comprimido e de rápido acesso (na parte 3 desta série são analisados os diversos formatos comprimidos suportados pelo GDAL)

Comando de conversão básico

Nestes artigos usamos o FWTools, um pacote de várias aplicações que inclui o GDAL e que é fácil de instalar e usar.

Para aceder aos comandos do GDAL, executamos FWTools Shell (disponível no desktop ou no menu Iniciar) para abrir a janela de comandos pré-configurada do GDAL. Nesta janela podemos executar os comandos do GDAL sem preocupações com a definição correcta da PATH e outras variáveis de ambiente.

Assim, na janela do FWTools Shell, para converter um ficheiro TIFF para um ficheiro JPEG usamos o seguinte comando:

gdal_translate -of JPEG imagem.tif imagem.jpg

A sintaxe básica é portanto:

  gdal_translate -of formato_de_saída imagem_de_entrada imagem_de_saída.

No nosso exemplo, um ficheiro TIFF de 28MB passou a um JPEG com 2,15MB. Ou seja, foi obtida uma compressão de 92%. Claro que a taxa de compressão variará com a própria imagem em causa…

Controlando o processo de conversão

Para controlar a conversão, o GDAL suporta parâmetros dedicados a cada formato, denominados “Creation Options”, ou “co”. Como cada formato tem as suas próprias opções, é necessário consultar a documentação de formatos no site do GDAL para saber que opções existem.

Por exemplo, no formato JPEG as opções de criação são actualmente:

  • WORLDFILE=YES: Cria um ficheiro de coordenadas separado com a extensão .wld (que podemos renomear para .jgw para usar em ArcView)
  • QUALITY=n: Indica o nível de compressão, entre 10-100, sendo 75 o valor por omissão. Quanto maior a qualidade, menor a taxa de compressão obtida. Não se traduz directamente numa taxa 0-100%, mas influencia-a directamente. 
  • PROGRESSIVE=ON: Especialmente indicado para imagens publicadas online porque os browsers são capazes de os mostrar progressivamente consoante as descarregam. Outras aplicações podem não conseguir ler estas imagens.

Assim, assumindo que o nosso TIFF tem coordenadas, para o converter para um JPEG, manter as coordenadas, e ainda obter uma taxa de compressão superior (indicando uma qualidade de 25), o comando seria o seguinte:

gdal_translate -of JPEG -co QUALITY=25 -co WORLDFILE=YES imagem.tif imagem.jpg

O ficheiro passaria a ter apenas 902KB… e seria criado um ficheiro com o mesmo nome da imagem mas com extensão .wld. Este ficheiro contém a informação de georreferenciação do JPEG. Para que o JPEG pudesse ser usado correctamente no ArcView bastaria alterar a extensão para .jgw.

Transformar GeoTIFF em TIFF

O formato GeoTIFF é uma variante TIFF que inclui a informação de georreferenciação no próprio ficheiro TIFF, e não num ficheiro externo. Por vezes é útil podermos exportar esta informação para um ficheiro separado, normalmente com a extensão .tfw.

O comando para converter um GeoTIFF para TIFF “básico”, e com um ficheiro .tfw com a georreferenciação é:

gdal_translate -of GTiff -co PROFILE=BASELINE -co TFW=YES imagem.tif imagem_saida.tif

O GDAL usa a mesma sigla GTiff para indicar o formato TIFF e GeoTIFF. Para ver todas as opções de criação para o formato TIFF pode consultar a página do formato TIFF do GDAL.

Comprimindo ficheiros TIFF

Uma das opções mais interessantes permitidas pelo GDAL é comprimir o ficheiro TIFF, mas mantendo-o nesse formato. As opções de compressão disponibilizadas pelo GDAL são: JPEG/LZW/PACKBITS/DEFLATE/CCITTRLE/CCITTFAX3/CCITTFAX4/NONE.

Ou seja, um ficheiro TIFF pode ter a imagem comprimida num destes esquemas de compressão. A compressão JPEG é a opção mais recente, com a melhor taxa de compressão, mas que degrada a imagem e não é suportada por algum software.

A compressão LZW por outro lado, é capaz de oferecer uma boa taxa de compressão (~10%) e sem perda de qualidade. Também pode haver problemas de compatibilidade, mas de forma menos frequente.

Nos primeiros testes que efectuei com a compressão LZW fiquei surpreendido, negativamente. Isto porque o tamanho da imagem aumentou!! Depois de descobrir que é possível ajudar o algoritmo de compressão indicando o tipo de imagem que estamos a comprimir (com a opção PREDICTOR), o resultado já foi o esperado.

Para converter um ficheiro TIFF para outro, mas comprimido com LZW, usamos o comando seguinte:

gdal_translate -of GTiff -co PROFILE=BASELINE -co TFW=YES-co COMPRESS=LZW -co PREDICTOR=2 imagem.tif imagem_saida.tif

A opção PREDICTOR=2 é indicada para imagens de cor real, 32 bit, como ortofotomapas.

Existe uma compressão melhor que LZW para o formato TIFF mas que dá mais problemas de compatibilidade: DEFLATE. Este é o método de compressão usada nos ficheiros .zip, e pode dar melhores resultados.

Comprimindo directorias

Por vezes, temos muito mais do que apenas um ficheiro para converter ou comprimir. Quando temos uma directoria cheia de ficheiros para converter, o que fazer?

É possível criar um pequeno script na forma de ficheiro .bat que aplica um comando GDAL a todos os ficheiros com determinada extensão numa directoria, e que ainda grava os resultados noutra directoria…

Um desses scripts poderia ser:

@echo off
for /R %1 %%I in (*.tif) do gdal_translate -of JPEG -co QUALITY=25 -co WORLDFILE=YES %%I %2\%%~nI.jpg
:END

Este script irá converter todos os ficheiros TIFF na directoria a indicar pelo utilizador, para ficheiros JPEG, colocando-os na directoria de destino indicada. Podemos alterar o comando GDAL, mantendo o restante texto intacto, para obter diferentes operações.

Para usar este script seria necessário criar um ficheiro com extensão .bat com o conteúdo indicado acima. E para o executar, bastaria usar numa Janela de Comandos o seguinte:

exemplo.bat directoria_com_tiffs directoria_destino

 

E é tudo por agora. No próximo artigo desta série serão analisados os formatos de compressão mais comuns.

Até lá, boas navegações.

Clique para partilhar:Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

3 pensamentos em “GDAL: conversão entre formatos de imagem SIG

  1. Estou ler pela primeira vez este tipo de blog por necessidade de publicar um trabalho com prazo. Agradeco.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>