OSM: quem anda aqui?

A cidade de Beja há um ano atrás não tinha quase presença no OpenStreetMap. Hoje deve ser uma das cidades mais completas… (é verdade que também é das mais pequenas, mas isso agora não interessa nada!)

Separador OSM

Só uma nota rápida para quem não conhece, e fico sempre surpreendido com a quantidade de pessoas que me vão dizendo que não conhecem, o OSM é um projecto internacional, comunitário, de levantamento de dados cartográficos por hobbyistas (chamados pomposamente de voluntários). E tem sido um fenómeno enorme de popularidade, e vale muito a pena investigar. Até porque a sua qualidade é tal que é usado em vários produtos para navegação pessoal. Um dos últimos convertidos é a MapQuest - faça uma visita se quiser ficar impressionado. O OSM começou por levantar a rede rodoviária, e abrange hoje uma série de outras categorias de dados, especialmente pontos de interesse. Mas fiquemos por aqui sobre o projecto OSM em si.

Continuando…

Dizia eu, Beja praticamente não tinha dados levantados, e eu como iniciado entusiasta, lá vectorizei algumas vias principais: usando o OSMTracker andei de carro com o meu telemóvel, que tem GPS, passei os dados para o PC, e usei o JOSM para “limpar” os dados e preencher os nomes das ruas, e finalmente passei tudo para o servidor. “Charân” – cidade de Beja online! (Mas muito poucochinho…). Note-se que agora as coisas estão bem mais simples – vectorizamos por cima dos ortos do Bing usando o excelente Potlatch2, e falta só atribuir nomes às vias. Para isso podemos usar o Walking Papers. (isto porque não podemos copiar os nomes das ruas do Bing.)

Andei distraído algum tempo, e agora que tenho um tablet Android, comecei a testar programas de navegação que usam dados OSM (que são muitos). E é quando vejo a cidade de Beja completamente cartografada! Vias, Pontos de Interesse, áreas verdes, cemitério… farmácias, parques de estacionamento, supermercados… impressionante.

Mas de quem é a criança? Quero dizer, quem foi o cartógrafo de serviço?

Histórico do OSM

Devem existir outras formas de fazer isto, mas eu usei o ITO OSM Mapper, e deixo aqui a dica.

Este site permite visualizar para uma dada zona quais as edições feitas nos últimos 3 anos, identificando os utilizadores, as datas de edição, e o n.º de vias editadas em cada sessão. Espectáculo.

Então, observem. Esta imagem mostra as sessões de edição feitas em Beja no último ano. Podemos assim perceber as sessões de edição que mais contribuíram para o mapa(cada sessão terá uma cor).

image

Começa a ser claro, que um dos editores sobressai… alterando a caixa “View”, passamos a ver as edições por utilizador:

image

Olá… Sr. Luís Coentro!! Quero aqui deixar os meus parabéns!! Se um dia nos encontrarmos, faço questão de lhe oferecer uma imperial no Pulo do Lobo, para me contar a história de como mapeou a cidade de Beja!

Mais a sério

O OSM é um projecto com um potencial incrível. As organizações que necessitam de uma rede viária cartografada, fácil de usar, e de manter, podem contribuir e usufruir deste repositório, beneficiando dele e beneficiando todos os co-cidadãos pelo caminho. As câmaras municipais são potenciais utilizadores/produtores óbvios. As escolas com cursos técnico-profissionais podem também usufruir imenso deste projecto, enquanto ao mesmo tempo contribuem para o mesmo. Aliás, projectos de cooperação câmaras-escolas teriam toda a lógica, e seriam duplamente úteis. Sabendo das dificuldades em obter dados geográficos utilizáveis, e da dificuldade em encontrar projectos escolares úteis, aqui fica a sugestão.

Já agora ficam aqui alguns contactos para a malta tuga do OSM: lista de email osm-pt, páginas pt no wiki OSM, página no wiki da OSGeo-PT sobre o OSM, lista de email OSGeo-PT.

Bons mapas.

Clique para partilhar:Tweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

3 pensamentos em “OSM: quem anda aqui?

  1. Viva,

    Só comecei a editar o OSM à mesmo pouco tempo. Primeiro umas farmácias (influência da OSGeo-PT), depois vias e alguns pontos aqui da zona que estava muito pobre. Confesso que aquilo vicia um pouco. Dei por mim às 2h agarrado ao Potlatch2 (Flash volta, estas perdoado) com as imagens Bing, armado em cartógrafo de bairro. Acho que o espírito é mesmo esse: Liberta o Cartógrafo que há em ti. Apenas uma nota para os Wiki do OSM sobre a configuração dos servidores e toda aquela maquinaria, os quais sempre foram, pelo menos para mim, uma fonte brutal de informação.

    Até

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>